HISTORIAL

A Lacticoop - União de Cooperativas de entre Douro e Mondego, que ao longo dos tempos bem tem representado o movimento cooperativo do sector do leite e de lacticínios, teve a sua génese em 1924, quando os produtores da região de Sever do Vouga (freguesias de Couto de Esteves e Rocas do Vouga) iniciaram uma greve, como forma de luta contra os baixos preços praticados pela indústria.
Esta luta foi fundamental para a formação de duas cooperativas naquelas freguesias e, mais tarde, exemplo seguido por agricultores de concelhos e distritos vizinhos, como forma de organização que melhor responde à partilha de valor gerado em toda a fileira que começa no produtor e termina no consumidor.

Foram aquelas cooperativas que, em 1962, decidiram agrupar-se numa União (União de Cooperativas de Lacticínios de Entre Douro e Vouga), juntamente com a cooperativa de Arouca. A criação dessa cooperativa de dimensão técnica e financeira para actuar no mercado foi fundamental para:

  • o desenvolvimento dos agricultores (na sua grande maioria de pequena dimensão);
  • a garantia de escoamento de todo o leite produzido;
  • e para uma melhor valorização da matéria-prima devido à maior participação nos diversos estádios da fileira.

Contudo, é de salientar que o arranque desta União ocorreu no ano de 1967 dado não existirem condições objectivas de funcionamento em termos de infra-estruturas. O sucesso desta iniciativa foi determinante para o desenvolvimento do cooperativismo na região de Aveiro, Ílhavo e Vagos (1971) e mais tarde, após o "25 de Abril", no distrito de Coimbra. A expansão a Sul do Vouga determinou a alteração da designação para LACTICOOP - União de Cooperativas de Produtores de Leite de Entre Douro e Mondego, U.C.R.L. (1972) e dois anos mais tarde surgem 3 novas cooperativas nas regiões do Vale do Mondego, Mira e Cantanhede.

Em Outubro de 1975, realiza-se a transferência das funções de recolha e concentração até então exercidas pela Federação dos Grémios da Lavoura para a LACTICOOP. Em 1979, ocorre a transferência das funções de recolha da União para as Cooperativas associadas, com vista a uma maior identificação e reforço dos laços que unem os produtores associados às suas Cooperativas de base, na medida em que estavam reunidas as condições técnico-económicas para tal.

Tendo em vista o aumento da produtividade e a melhoria contínua da qualidade do Leite, foram criados dois serviços denominados de Recria de Fêmeas Bovinas Leiteiras e Serviço de Inseminação Artificial.

Com a Recria de Novilhas, a LACTICOOP teve como objectivo melhorar a genética animal nas explorações agrícolas, o que permite o aumento na quantidade e qualidade do leite e consequente melhoria dos níveis de produtividade.

A Inseminação Artificial teve como fim a melhoria genética e sanitária das explorações agrícolas, pois permite uma melhor programação da actividade do produtor na vertente temporal e tipológica do sémen. Para além disso, resolve-se o problema das incompatibilidades sanguíneas e permite melhorar características específicas do leite como a gordura, proteínas e outras.

Nos anos de 1988 e 1989, o esforço contínuo de diversificação da LACTICOOP leva-a a iniciar a produção e comercialização de alguns produtos derivados do leite, tais como, o queijo fresco com polpa de fruta, iogurtes e queijo de ovelha.

Entretanto, foi criado o Laboratório de Sanidade com a finalidade de prestar serviços relacionados com a análise de sangue de bovinos e ovinos para despiste de doenças.

Em finais de 1995, por razões estratégicas de mercado, a LACTICOOP formou, juntamente com outras duas cooperativas (Proleite e Agros) a LACTOGAL , onde centralizaram a partir de 1996 e 1997 as actividades de transformação e comercial.

A LACTICOOP passou a desempenhar, como actividade principal a recolha de leite, continuando, a prestar apoio aos associados nas áreas em que anteriormente o fazia.
2012 - Lacticoop - União de Cooperativas de entre Douro e Mondego | By: Criamagin